Você sabia que em Madre de Deus, Bom Jesus dos Passos, Ilha do Paty, São Francisco do Conde havia espetáculos teatrais musicais, em sua maioria encenados e interpretados por mulheres, refletindo o cotidiano e os costumes locais? A memória da produção artístico-cultural desses lugares foi resgatada no projeto “Dramas e Comédias” e documentado no Caderno Dramas e Comédias: Histórias Cantadas por Elas, disponível online (http://www.dramasecomedias.tk), reunindo entrevistas, dramaturgia e imagens geradas durante o processo de pesquisa desenvolvido. O material também está disponível em versão impressa em bibliotecas públicas e centros culturais tanto em ilhas da Baía de Todos os Santos, quanto em Madre de Deus, Alagoinhas, Jatimani, Lauro de Freitas, Salvador e Ilhéus.

De acordo com o idealizador do projeto, o ator e diretor teatral, Claudio Machado, “neste trabalho, descobrimos o prazer de consultar livros vivos em uma biblioteca tão rica quanto dispersa, em se tratando do assunto que buscávamos. Por isso mesmo, a ideia de criar este caderno vem do desejo de reunir informações sobre essas “comédias” e, desta forma, possibilitar novos estudos que possam aprofundar, desenvolver e quem sabe responder as muitas questões que fizemos no decorrer desta pesquisa”.

A publicação também apresenta imagens, ilustrações e compartilhamento do processo criativo do espetáculo Donas – Comédias que Elas Cantam, encenado em 2017, com artistas, jovens e adultos da região, participantes do processo criativo e de pesquisa realizado durante quatro meses na cidade de Madre de Deus. Todo o processo de pesquisa e direção artística foi realizado pelos diretores Claudio Machado e Jarbas Bittencourt que, juntos com a turma, reuniram e aprofundaram suas respectivas experiências sobre a relação entre teatro e música que serviu de base para a condução do trabalho. Desenvolveram assim, uma encenação musical de rua que percorreu as Ilhas de Maria Guarda, Ilha das Fontes, Ilha do Paty, Ilha de Bom Jesus dos Passos, Madre de Deus, além de Salvador e Lauro de Freitas, homenageando sobretudo as mulheres que realizaram as “comédias” nessas localidades ao longo do século XX.

O caderno deseja garantir que a memória, preservada na oralidade, possa documentar a riqueza do conhecimento destas senhoras, permitindo que as novas gerações possam conhecer as expressões artísticas da região. No material constam histórias que revelam traços das trovas medievais, dialogando com reflexões sobre costumes, traços culturais locais e situações cotidianas. Trazem os nomes de comédias, não por se tratar necessariamente de peças cômicas, mas antes, pelo seu carácter teatral e para designar todo tipo de história, seja trágica, dramática, romântica ou cômica. Esses textos dramáticos são ditos de modo musicado, por meio de canções que constroem diálogos ou narram as histórias e cujas melodias ainda são lembradas pelas senhoras da região.