Presentear com um animal de estimação no natal pode ser uma surpresa incrível, porém, sem o consentimento prévio da pessoa, pode ser, também, uma decisão muito arriscada. Além das inúmeras responsabilidades, o bichinho dependerá de seus tutores até o fim da vida e, portanto, é muito importante saber se quem o receberá dispõe das condições básicas necessárias, como um local apropriado, recursos para alimentação e cuidados veterinários, além de tempo para exercícios e higiene.

Já que as crianças não são capazes de assumir todas as responsabilidades, os tutores serão sempre os pais, que precisam estar conscientes dessa escolha. Com um tempo médio de vida entre 10 a 15 anos para cães e até 20 anos para gatos, é preciso ter cautela sobre a espécie, que deve ser compatível com a vida e condições dos futuros donos. Roedores, como o porquinho-da-índia, são uma boa escolha para quem vive em apartamentos ou casas pequenas, com um tempo de vida que é por volta de 6 a 8 anos. “Muitos tomam a decisão de forma precipitada, sem analisar que a chegada desse novo membro à família traz mudanças na rotina e no bolso”, diz Jorge Morais, veterinário e fundador da rede Animal Place. Se essas questões são adaptáveis ao novo integrante do lar, então este é o momento certo de presentear a pessoa que você ama e oferecer todo o apoio necessário na criação do animal.