No dia 17 de outubro, é comemorado o Dia Nacional da Vacinação, data criada pelo Ministério da Saúde para alertar a população para a imunização contra doenças virais e bacterianas. Os indivíduos mais expostos são as crianças, grávidas e idosos. A médica pneumologista Larissa Voss Sadigursky ressalta a importância de o idoso manter o calendário de vacinação em dia para viver bem.

Com o passar dos anos, o sistema imunológico envelhece, ficando menos eficaz, o que deixa o idoso mais suscetível a contrair doenças virais e bacterianas. A expectativa de vida no Brasil já ultrapassa os 75 anos, mas o ideal é que ela esteja associada à qualidade de vida. Nesse sentido, a vacinação é uma medida fundamental, pois ajuda a evitar doenças sérias e o agravamento de doenças crônicas de base comuns na faixa etária acima dos 60 anos.

Pessoas vacinadas têm mais condições de enfrentar adversidades associadas à ação de vírus e bactérias, portanto, independentemente da idade, todos devem estar com a vacinação em dia. “Além de viver mais, todos queremos viver bem. As vacinas são aliadas desse projeto de vida, por essa razão é tão importante manter o calendário de vacinação em dia”, explica a pneumologista.

De acordo com Dra. Larissa, são nove as vacinas recomendadas no calendário de vacinação do idoso que os protegem contra 13 doenças. Cinco delas são indicações de rotina, como a vacina contra gripe, pneumonia pneumocócica, tríplice bacteriana do tipo adulto (difteria, tétano e coqueluche), hepatite B e herpes zóster. “As vacinas que previnem a febre amarela, a hepatite A, as meningites ACWY e a vacina tríplice viral, bem como sarampo, caxumba e rubéola, são recomendadas em situações especiais, após avaliação médica que determinam as necessidades e riscos para cada paciente”, acrescenta.

Por questões econômicas, nenhum país consegue oferecer gratuitamente à população todas as vacinas, porém muitas delas são disponibilizadas gratuitamente através do SUS, enquanto algumas só podem ser adquiridas em clínicas particulares, como as contra herpes zóster, meningococo e hepatite A.

“A vacinação do idoso é muito importante para fornecer a imunidade necessária ao combate e prevenção de infecções, por isso, é essencial para pessoas com idade igual ou superior a 60 anos manterem o calendário de vacinação em dia”, completa.