Nesta quinta-feira, 10 de outubro, comemora-se o Dia Internacional da Saúde Mental, instituído pela Federação Mundial de Saúde Mental.  A intenção é tornar a saúde mental uma causa comum a todos. Umas das principais doenças é a Síndrome de Burnout, situação que vivenciam milhares de trabalhadores todos os anos no Brasil. Uma pesquisa realizada no país pela International Stress Management Association (Isma) reconhece que 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros sofrem com a Síndrome de Burnout, que é provocada pelo estresse psicológico num mercado de trabalho sempre competitivo, cheio de metas e pressões. Os impactos são: exaustão mental, emocional e física, atreladas ao cansaço, irritabilidade e dificuldade de concentração, chegando até mesmo a sentimentos depressivos.

Apesar de ganhar cada vez mais espaço na mídia e preocupação no ambiente corporativo, a Síndrome de Burnout ainda é pouco conhecida. O assunto ganhou repercussão depois que famosos divulgaram ser vítimas da doença, por esgotamento profissional. No dia 04 de setembro as buscas por “burnout” e “síndrome de burnout” atingiram o ápice de popularidade, gerando mais de 700 notícias classificadas na web sobre o tema.  Os dados apontam o interesse da população em buscar mais detalhes e informações sobre o assunto, demonstrando que falar desse mal é uma necessidade permanente para ajudar a garantir a saúde mental da sociedade moderna.

“É importante ressaltar que os sintomas devem estar relacionados às questões ocupacionais, e os profissionais de saúde estarem atentos para que a ajuda aconteça antes de evoluir para algo ainda mais grave como a depressão”, informa Joaquim Moura da Clínica Fênix.