*Joaquim Moura

Na aquarela de cores adotadas a cada mês, para chamar a atenção para algum tipo de assunto importante (outubro rosa, novembro azul, dezembro laranja), o janeiro também possui seu tom: o branco, que possui o papel de chamar a atenção ao cuidado com a nossa saúde mental e psíquica.

O novo ano chegou e com ele vem a simbologia de recomeço. Todos os problemas da “depressão de final de ano” começam a ser substituídos por novas soluções e a expectativa de uma rotina saudável é programada por todas as pessoas. Porém é muito comum que a motivação em manter o autocuidado diminua ao longo do ano.

Pesquisas atuais da OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmam que a incidência de transtornos mentais está aumentando na sociedade. A depressão, por exemplo, será a maior causa de incapacitação até 2020. O suicídio, que também pode ser resultado de um transtorno mental, atualmente esta matando mais do que a Aids (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) e alguns tipos de câncer. Acredita-se que o aumento de pessoas com transtorno mental esteja acontecendo por conta da constante evolução tecnológica e o distanciamento e esvaziamento das relações pessoais. Pesquisas apontam que a cultura da exposição nas redes sociais acaba por desenvolver pessoas que não têm uma boa relação com seus próprios sentimentos, pois estão focadas em superficialidades. Por sermos seres sociais, precisamos do contato com o outro para manter a nossa saúde equilibrada.

A campanha do Janeiro Branco foi iniciada, no Brasil, em 2014. Ela é uma iniciativa dos profissionais de saúde mental para estimular a conscientização e uma cultura preventiva em relação à saúde mental. O “branco” dessa campanha simboliza o quadro em branco, onde projetos e processos podem ser construídos e iniciados. Por isso é importante falar sobre a saúde mental no primeiro mês do ano. O apoio familiar é fundamental. Não é preciso ter medo de uma depressão aparecer, por exemplo, porque há tratamento para o problema. Existe um preconceito em procurar psicólogo ou psiquiatra para cuidar das questões de ordem psíquica e emocional e esse tabu acaba fazendo com que as pessoas só se cuidem quando o caso já esta grave e de difícil tratamento.

Alguns hábitos simples podem ajudar na prevenção de doenças psicológicas como: praticar exercícios físicos, manter uma alimentação equilibrada, fazer atividades de lazer, estar em contato com outras pessoas e principalmente estimular sua auto consciência. Mas, se alguma doença se manifestar, é indispensável procurar imediatamente apoio médico. Para isso é sempre aconselhado que procure um profissional da área de saúde para que haja uma orientação de forma individual e especializada. Quem cuida da mente, cuida da vida!

*Joaquim Moura é psicólogo e diretor da Clínica Fênix Bahia