O compositor baiano Alex Pochat lançou nesta quinta-feira, 26, seu novo trabalho musical em formato de álbum digital, intitulado “Loqui in Mousiki”. O CD, que estará disponível nas principais plataformas digitais na internet, apresenta uma coleção de obras para conjuntos de câmara que circundam sobre o tema da relação entre fala e música, fruto de pesquisas acadêmicas voltadas ao assunto.

Alex Pochat, que atua nos campos da música popular, com seu grupo de rock Alex Pochat e Os 5 Elementos*, e da música tradicional, com suas imersões na música indiana e com produção musical de grupos de matrizes africanas**, junta-se a intérpretes tão bem conceituados como o Duo Robatto, Jorge Sacramento, as sopranos Vanda Otero e Ananda Andrade, os baixistas Alexandre Vieira e Tulio Augusto (voz baixo), entre outros, para reforçar a importância da difusão de música tida como erudita para além das salas de concerto.

O álbum, além da temática da fala, traz à tona a ideia da interpretação de música de concerto contemporânea pelo ouvinte, pelo performer, pelo crítico musical, como mecanismo de criação artística: a fala do “outro” como estímulo criativo. Cada uma das peças musicais tem uma outra peça como resposta, decorrente da relação entre compositor e interpretador, como pode ser percebido em “ToDo” (para 07 caixas-claras e uma voz baixo) sendo respondida por “Interpret that!” (para 05 contrabaixos e uma soprano), ou nas relações entre as duas obras acusmáticas que representam a riqueza dos falares da Feira de São Joaquim: “entex o falatório”*** e “IXI”, essa última recém premiada pela XXII Bienal de Música Brasileira Contemporânea.

Todas as obras de Loqui in Mousiki já foram estreadas e executadas ao longo dos últimos anos pelo Brasil (Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rio Grande do Sul) e pelo exterior (Portugal e Suécia), e – para depois se tornarem outras obras tantas – agora passam a estar disponíveis para apreciação e interpretação na rede: headphones no lugar de salas de concerto.