A principal dificuldade que os examinandos têm para passar no Exame da OAB é conhecer o perfil da banca examinadora deste certame, atualmente a FGV, e qual a sua tendência na estruturação das questões. A FGV assumiu a aplicação e elaboração das provas do Exame da OAB a partir do segundo exame unificado, e até então já aplicou 20 provas*. A prova do Exame da OAB é composta por 17 disciplinas que somam 80 questões. De modo que, cada disciplina possui diferente grau de relevância, a exemplo de Ética, que contém 10 questões, representando 25% das 40 questões necessárias para aprovação na 1ª fase. Ao longo dessas aplicações, ocorre a repetição de determinados temas. Assim, analisando estes dados, o examinando poderá direcionar seu estudo e obter tranquilidade para realizar a prova com maior segurança.

Na hora do estudo, a maioria dos examinandos tenta abranger o máximo de conteúdo possível para não deixar de estudar nada que possa ser exigido na prova. Mas esse não é o melhor caminho. Para o examinando, é impossível dominar tudo. Além disso, para a 1ª fase do Exame da OAB, não há publicação de edital que direcione o examinando quanto ao conteúdo que é aplicado nas questões da prova.

Pensando nisto, o Brasil Jurídico criou, este ano, o Análise 360º, o SAAP – Sistema de Aprendizagem de Alta Performance e os Cursos Essenciais. Trata-se de um novo conceito, uma tríade que oferece o que é essencial para o examinando. Inicia-se pelo Análise 360º, que possibilita conhecer o perfil da banca examinadora, além de oferecer um diagnóstico completo de todas as provas já aplicadas, com o qual o examinando saberá qual é a relevância de cada disciplina e, respectivamente, quais são os temas com maior incidência. A partir disso, elaboram-se questões inéditas, que compõe o SAAP – Sistema De Aprendizagem De Alta Performance, ferramenta de alta tecnologia que possibilita uma experiência semelhante ao da prova, além de propiciar ao examinando fixar o conteúdo através da efetiva resolução de questões dos temas apurados pelo Análise 360º e considerados essenciais. Ao final, o simulador apresenta relatórios completos da performance do usuário, além de indicar o que ele precisa melhorar. Nesse momento, entram os cursos de temas ou disciplinas essenciais. Essa é a lógica. O examinando não tem que investir em um curso completo, não há necessidade de um investimento maior. O examinando pode estudar aqueles temas ou disciplinas, identificadas ao final do simulador, e que precisam ser reforçados, que são os Cursos Essenciais.

Muitos examinandos buscam por simulados online genéricos. Mas o que existem hoje são ferramentas que não têm o mesmo padrão de uma prova. São simulados com questões de provas anteriores. Com o simulador SAAP, o examinando simula uma prova, no mesmo padrão FGV. E ele pode optar tanto pelo modo comentado, como pelo modo prova. Ambos apresentam questões Inéditas e/ou Adaptadas, elaboradas criteriosamente pela equipe Brasil Jurídico, com base na incidência temática. Não existe hoje, no Brasil, uma ferramenta com esta proposta, de proporcionar ao aluno a experiência de uma prova 100% FGV.

No exame anterior (XX), em uma apuração realizada internamente, 90% das questões aplicadas pela FGV estavam no material elaborado pelo Brasil Jurídico, no Análise 360º, no SAAP e nos Cursos Essenciais, o que comprova a eficácia inconteste desta plataforma inédita.

*Incluindo a prova reaplicada em Salvador

fontenellePor Francisco Fontenele – Diretor Executivo do Brasil Jurídico – Ensino de Alta Performance, ex-Diretor Pedagógico da Rede LFG, fundador do curso e editora JusPODIVM, fundador do Curso para Concursos, especialista em concursos públicos e exame da OAB.