O Complexo Industrial de Camaçari celebra hoje, dia 5 de julho, seus 40 anos de atividades com o fórum “Desafios Competitivos do Polo Industrial de Camaçari”, reunindo empresários, autoridades, instituições parceiras e imprensa no Teatro Cidade do Saber, em Camaçari. Na programação, destaque para as palestras “Desafios para a Competitividade da Indústria no Brasil”, com Flávio Castelo Branco, gerente executivo de Políticas Econômicas da Confederação Nacional da Indústria (CNI); e “Crescimento Sustentável no Cenário Econômico Brasileiro”, com Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central. O evento, que terá início às 8h30, abordará, em síntese, o objetivo do Polo de manter-se competitivo nos dias atuais e nas próximas décadas, atraindo sempre novos empreendimentos.

A programação contará com a participação do Cofic, Federação das Industriais do Estado da Bahia (Fieb), Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), Prefeituras de Camaçari e Dias d’ Ávila e Governo da Bahia. Inicialmente, o superintendente do Cofic, Mauro Pereira, fará uma contextualização sobre o momento atual do Polo de Camaçari, seguindo-se o vice-presidente da Braskem, Marcelo Cerqueira, que abordará as “Perspectivas do Segmento Petroquímico” no Complexo Industrial. Depois, o diretor de Tecnologia e Inovação do Senai-BA, Leone Peter Andrade, falará sobre o Estudo da Cadeia Petroquímica na Bahia, que vem sendo realizado pelo Senai-Cimatec. Em continuidade, estão programadas mais duas palestras: “Desafios para a Competitividade da Indústria no Brasil”, por Flávio Castelo Branco, gerente executivo de Políticas Econômicas da Confederação Nacional da Industria (CNI); e “Crescimento Sustentável no Cenário Econômico Brasileiro”, por Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central, “Economista do Ano” em 2014.

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO 40 ANOS

Local: Teatro Cidade do Saber/ Camaçari

08:00 – Welcome Coffee

08:30 – Abertura: Cofic, FIEB, Abiquim, Prefeituras de Camaçari e Dias D’Ávila, Governo do Estado

09:20 – Fórum: “Desafios Competitivos do Polo Industrial de Camaçari”

  • Apresentação/Contextualização | Mauro Pereira – Superintendente do Cofic
    • Perspectivas do Segmento Petroquímico no Polo de Camaçari |Marcelo Cerqueira  / Vice-Presidente Braskem
    • Estudo da Cadeia Petroquímica na Bahia | Leone Andrade – Diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI – BA
    • Desafios e Perspectivas do Segmento Automotivo | Rogelio Golfarb – Vice-presidente da Ford
    • Infraestrutura, Logística e Competitividade no Polo Industrial de Camaçari – Paulo Guimarães – Superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia
    • Desenvolvimento Local – Ações para o Fortalecimento dos Segmentos Produtivos de Camaçari e Dias D’Ávila
      • Waldy Freitas, Secretário de Desenvolvimento Econômico de Camaçari
      • Gilmar Batista, Secretário de Desenvolvimento Econômico de Dias D’Ávila
  • 10:25 – Coffee-break
  • 10:40 – Palestra: “Desafios para a Competitividade da Indústria no Brasil” Flávio Castelo Branco – Gerente Executivo de Políticas Econômicas da CNI
  • 11:10 – Palestra: “Crescimento Sustentável no Cenário Econômico Brasileiro” Gustavo Loyola – Ex-presidente do Banco Central, Economista do Ano em 2014
  • 11:50 – Encerramento/Brunch

Papel transformador na Bahia

Desde o início de suas atividades, em 29 de junho de 1978, o Polo Industrial de Camaçari cumpre um papel vital e transformador para o Estado da Bahia, contribuindo para o seu desenvolvimento econômico e social, através da geração de emprego, renda e de novas oportunidades de investimento. Sempre mantendo o foco na expansão, atraindo empreendimentos em diferentes segmentos industriais, o Polo é um exemplo de sucesso na sua capacidade de superar adversidades, com uma trajetória baseada na competitividade, diversificação industrial e complementação de suas cadeias produtivas a partir de um perfil de gestão moderno e inovador.

Os números ilustram bem essa performance: o ativo total do Polo, que era de US$ 12 bilhões até 2008, saltou para US$ 16 bilhões em 2011, superando os 18 US$ bilhões a partir de 2016, excluindo os aportes realizados pelo Governo para infraestrutura. São dados que demonstram o potencial de atratividade do Polo, que vem ao longo do tempo ampliando suas atividades e contribuindo para o desenvolvimento da Bahia, com a geração de mais oportunidades de emprego e renda para Estado e municípios vizinhos ao Complexo Industrial.

Os novos empreendimentos são uma realidade. Entre os mais recentes, destaca-se o Complexo Acrílico da Basf, que representa o seu maior desafio empresarial fora da Alemanha, com aportes superiores a R$1,5 bilhão. Em suas três unidades industriais no Polo de Camaçari, produz, em escala global, ácido acrílico, acrilato de butila e polímeros superabsorventes (SAP), utilizando como matéria-prima o propeno, fornecido pela Unidade de Petroquímicos Básicos da Braskem.

EMPRESAS LÍDERES

O Polo Industrial de Camaçari abriga atualmente mais de 90 empresas, sendo 35 unidades industriais químicas e petroquímicas, e 18 parceiras no Complexo Ford. As demais estão nos segmentos de metalurgia do cobre, têxtil, bebidas, celulose, pneus, fertilizantes, energia eólica, bebidas e serviços (incluindo logística). A localização estratégica do Polo, no município de Camaçari, a 50 quilômetros de Salvador, permite fácil acesso às indústrias através das rodovias BA-093, BA-535 (Via Parafuso), Canal de Tráfego, ferrovias, portos e aeroportos.

Entre as empresas do Polo, destacam-se organizações líderes em seus segmentos, como a Braskem (líder em resinas termoplásticas na América Latina), a Paranapanema (principal produtora de cobre eletrolítico da América do Sul), a BSC (única indústria que produz celulose solúvel com alto teor de pureza em toda a América Latina), a Deten Química (única produtora no país de LAB – Linear Alquilbenzeno, matéria-prima básica para produção de detergentes biodegradáveis), além da Ford, Continental e a Bridgestone, destaques no segmento automotivo.  No segmento eólico, um dos últimos implantados – com forte poder de crescimento – destacam-se indústrias como Gamesa, Torrebrás e Tecsis.                                                                         

VETOR DE DESENVOLVIMENTO

O Polo tem sido um importante vetor de desenvolvimento para a Bahia e para o país. O faturamento anual do Complexo Industrial é de aproximadamente US$ 15 bilhões, as vendas para o mercado externo correspondem a 30% do total das exportações baianas e sua contribuição em ICMS para o Estado da Bahia é da ordem R$ 1 bilhão/ano. O Polo Industrial de Camaçari responde ainda por cerca de 90% da arrecadação tributária do município de Camaçari e por mais de 20% do Produto Industrial Bruto (PIB) do Estado da Bahia.