A Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) traz a Salvador o conhecido maestro Guilherme Mannis, por meio de seu projeto “Futurível”, para apresentar três obras representativas da contemporaneidade. Duas delas são ligadas à  Bahia: a peça “Sendas de um Outro Um”, do suiço-baiano Ernst Widmer, e “Tempuê”, do compositor de música contemporânea Paulo Costa Lima. O concerto será realizado no dia 16 de agosto no Teatro Castro Alves, em duas apresentações: às 18h e 20h30. Ingressos a R$ 5 e R$ 10.

“Sendas de um Outro Um” é um balé de 36 minutos escrito em 1977 pelo compositor e ex-diretor da Escola de Música da UFBA, Ernst Widmer (1927-1990), baseado em um conto da poetisa Alba Liberato. A segunda obra, “Tempuê”, apresentada em sua primeira audição, é uma grande homenagem ao candomblé, utilizando-se da releitura orquestral em transformações contemporâneas de melodias dos caboclos, aliadas a peças populares. Completa o programa a estreia brasileira de “Miragem”, obra do compositor carioca Mario Ferraro, que nas palavras dele, “é uma peça bastante colorida, além de essencialmente expressiva e dramática.”

SERVIÇO: 

OSBA

Regência: Guilherme Mannis

Local: Teatro Castro Alves

Data: 16 de agosto (domingo).

Horário: Serão às 18h e 20h30