A rede hoteleira de Salvador apresentou em julho taxa de ocupação de 62,11% e diária média de R$ 218,50, resultando em um Revpar (indicador ponderado de taxa de ocupação e diária média) de R$ 135,71. Comparando-se com os resultados do mesmo período do ano anterior, verifica-se um incremento na taxa de ocupação de 5,26 % (56,85% em julho/2017) e estabilidade na diária média que passou de R$ 215,76 em julho/2017 para R$ 218,50 em julho/2018.

Os resultados revelam a tendência de crescimento da hotelaria em 2018 em relação a 2017. No acumulado do ano (janeiro a julho) a taxa de ocupação passa de 53,72% para 61,45% e a diária média permanecendo praticamente estável (R$ 233,27 em 2018 e  R$ 234,95 em 2017).

Segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o movimento de passageiros no aeroporto de Salvador também apresentou crescimento de 2,1% entre janeiro e maio de 2018, se comparado a igual período do ano anterior.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-BA), Glicério Lemos, os dados são bastante positivos e refletem uma retomada de crescimento da hotelaria. “O mês de julho na hotelaria é impactado positivamente pelas férias nas regiões Sul/Sudeste e, com isso, há uma procura muito grande por Salvador. Aliado a isso, temos o Road Show, ação desenvolvida desde 2016, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) de promoção da capital baiana em diversas cidades do Brasil e da América do Sul, capacitando agentes de viagens e operadores que comercializam o produto Salvador, e que trouxe no ano passado um aumento de 10% no fluxo de turistas para a cidade”, afirma.

Os números são fruto da Pesquisa Conjuntural de desempenho (Taxinfo), realizada em parceria entre a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – seções Bahia e Brasil. Os dados são fornecidos diariamente pelos próprios hotéis ao Portal Cesta Competitiva e a média resultante constitui indicador para avaliar a evolução da atividade de hospedagem em nossa capital.