Próximo dia 11 de abril (quarta-feira), às 12h30, no Candyall Guetho Square, o artista baiano Carlinhos Brown recebe o título de Embaixador Ibero-Americano para a Cultura em solenidade a ser presidida pela Secretária-Geral Ibero-Americana, Rebeca Grynspan, que vem a Salvador (BA) especialmente para a ocasião.

O título é concedido pela Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), organismo internacional a serviço da Ibero-América, que atua como único espaço oficial de convergência, diálogo, trabalho, acompanhamento e acordo da região ibero-americana, que reúne 22 países de línguas portuguesa e espanhola, situados em ambos os lados do Atlântico.

Criada em 2005 com o objetivo de fortalecer a Comunidade Ibero-Americana e lhe assegurar projeção internacional, a SEGIB tem entre as suas práticas a nomeação, como Embaixadores Ibero-Americanos, de personalidades de renome no mundo da cultura, esportes, música ou literatura para atrair atenção pública para as questões relacionadas às suas atividades e missão.

Carlinhos Brown passa a ser o único músico brasileiro a desempenhar a função de Embaixador Ibero-Americano para a Cultura, hoje ocupada por nomes como o do cantor e compositor uruguaio Jorge Drexler, autor da única canção em espanhol (Al otro lado del río) a conquistar o Oscar de Melhor Canção Original, e pela escritora brasileira Nélida Piñon. Drexler, que recebeu o título em 2016, está numa das faixas do último álbum lançado por Brown ano passado, Semelhantes.

“Essa nomeação é a primeira para um artista afrodescendente e brasileiro e representa o desejo de dar visibilidade a tudo o que Carlinhos Brown representa: a importância da valorização da cultura afro-brasileira, o uso da cultura como instrumento de transformação social, a promoção da língua portuguesa na Ibero-América e o compromisso com a juventude ibero-americana”, realça a secretária Rebeca Grynspan.

A visita a Salvador da comitiva da SEGIB prevê um tour pelo bairro do Candeal, onde Carlinhos Brown nasceu, incluindo visitas à Creche La Almudena, à Escola de Música da Pracatum, a espaços simbólicos do bairro, como a Bica e a Escadaria do Zé Botinha, além de apresentações de grupos musicais como Lactomia, Filhos de Gandhy, Banda Didá, Bateria de Rua do Candeal, Timbalada e Electrotimba, sendo esta última uma prova do desejo do artista de fundir ritmos e culturas e romper barreiras lingüísticas através da música.