Para celebrar o Dia Internacional do Meio Ambiente, a cantora e gestora ambiental Carla Visi realiza nesta terça-feira, 5 de junho, às 19h30, a primeira edição do Papo EcoS. O evento envolve cultura e sustentabilidade. Terá uma palestra show de Carla, além do debate com vários especialistas em meio ambiente. Aberto ao público, o Papo acontece no Mister Miss Pub Café, na Rua Gregório de Matos, 15, Pelourinho. Mais informações pelos telefones (71) 3321-2484 e 9 9114-6062.

“O projeto EcoS pretende fazer ecoar casos que fazem a diferença na nossa comunidade, oferecendo novas referências para um viver sustentável”, afirma Carla sobre o projeto idealizado por ela. Pós-graduada em Gestão Ambiental, ela comenta que o foco do debate é a atitude do cidadão comum.

“Comportamento é Cultura e a Sustentabilidade só será possível com uma nova visão de mundo e uma relação diferenciada com o meio ambiente”, afirma. Na primeira edição, o evento vai debater questões em torno da gestão dos resíduos sólidos, genericamente chamados de lixo.

Para discutir o tema e apresentar alguns projetos que ajudam a melhorar o gerenciamento de resíduos sólidos em Salvador, Carla Visi convidou um time de especialistas. Entre eles, a professora Zenis Novais da Rocha, que criou na UFBA o projeto Compostagem Francisco, que transforma em adubo todo resto de comida do restaurante universitário e de outras fontes.

O engenheiro agrônomo e mestre em Recursos Hídricos, Aldo Azevedo, também participa do Papo. Atualmente ele é Superintendente de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos da Secretaria Estadual do meio ambiente da Bahia. O debate terá também a participação de Cláudio Deiró, Presidente da ONG Paciência Viva, que realizou a campanha “Ação Reciclar – doe seu jornal”, apresentada por Wagner Moura.

O debate vai contar ainda com a especialista Daniela Amorim, coordenadora de Logística Reversa da GRI – Gerenciamento de Resíduos Industriais. Ela é responsável pelo programa Jogue Limpo, logística reversa de embalagens de óleos lubrificantes, que abrange seis estados, inclusive a Bahia.

Carla Visi retoma números do Sistema Nacional de Saneamento (SNIS) para explicitar o problema do lixo. “Os dados sobre resíduos sólidos e serviço de água e esgoto são pouco animadores. A coleta regular atendeu mais 700 mil pessoas em 2014, porém o déficit é tão grande que 17,3 milhões continuam sem esse serviço. A situação é pior na zona rural e nos pequenos municípios”, cita Carla.

Além da coleta regular não ser universal, a coleta seletiva é quase inexistente. “Dos 5.561 municípios do Brasil, apenas 1.322 possuem coleta seletiva, o que significa que em apenas 23% das cidades, a reciclagem é uma realidade”. Há uma estimativa de que cada brasileiro produz em média 1 quilo de lixo por dia.