O Octavio Café, além de ser a maior cafeteria da América Latina, é uma das únicas que detém 100% de controle do processo da semente à xícara e possui as certificações internacionais mais importantes: Rainforest Alliance e UTZ.  Todo café servido nas cafeterias vem das seis fazendas cafeeiras localizadas em Pedregulho, na região Alta Mogiana, local conhecido por sua tradição e pela qualidade dos grãos.  A rede, que trabalha apenas com café de categoria Especial – grãos acima de 80 pontos, oferece 12 tipos diferentes de métodos. Confira as dicas segundo o baristas, Bruno Chagas:

Por infusão

  • Prensa Francesa: Infusão de água e café, filtrado por um êmbolo de metal. Realça o corpo e mantém os óleos essenciais. Método que extrai o maior nível de cafeína.
  • Clever: Combina infusão com gravidade, reforçando principalmente o corpo da bebida. Criado em 2009, método oriundo da experiência taiwanês com chás.
  • Turco: Fervido três vezes durante o preparo, oferece uma bebida intensa em corpo e sabor. Muito usado na “cafeomancia” é o método mais antigo de todos.

Por gravidade

  • Cafeor: Filtrado, sem papel, produz uma bebida doce, aromática e rica em óleos. É um dos diferenciais no Octavio Café.
  • Kalita: Apresenta um suporte para filtro que possui uma base alargada e três furinhos. A bebida, com acidez acentuada tem extração uniforme devido ao filtro em formato de ondinhas.
  • Hario V60: Coador com relevos em espiral. Produz bebida limpa e suave, realçando as nuances do café. Criação japonesa, é a evolução do nosso coador de papel.
  • Coador de pano: Filtra todos os sólidos. A bebida é afetada pelos sabores de outras extrações, que ficam no pano. É o mais comum entre os preparos no Brasil.
  • Chemex: Sistema com design diferenciado e filtro triplo de papel. Produz bebida limpa, que realça acidez e aroma. Desenvolvido pela Bauhaus em 1941.

Por pressão

  • Syphon Coffee: Mescla infusão e transferência térmica. Produz bebida potente e encorpada. Criado em 1840 durante uma expedição marítima francesa, une arte e ciência.
  • Moka Italiana: A extração acontece através da pressão da água quando entra em ebulição, produz bebida densa e encorpada. Método caseiro mais consumido na Itália.
  • Aram: 100% brasileira, portátil, sem uso de energia elétrica ou cápsulas. Essa cafeteira une design e tecnologia para fazer um espresso incrível.
  • Aeropress: Passa por infusão e pressão de ar em uma câmara cilíndrica. Resulta em bebida suave e aromática. Criado em 2005 por um inventor de brinquedos nos EUA.

 CURIOSIDADES DO UNIVERSO CAFEEEIRO

  • O café é a segunda bebida mais consumida no mundo, perdendo apenas para a água;
  • Essa bebida é comemorada três vezes ao ano: 14 de abril é o Dia Mundial, 25 de maio é o Dia Nacional e dia 1º de outubro é o Dia Internacional;
  • Você sabia que a colheita do café pode ser feita de 3 formas? Há a seletiva, manual e a mecânica. E é possível preparar até 14 diferentes tipos de cafés – incluindo variedades naturais, descascadas, despolpadas, microlotes e blend;
  • Além de ser o maior exportador do grão no mundo, cerca de 25% do café consumido mundialmente é proveniente do Brasil;
  • O mercado de café está em expansão.  Cresceu 3% em 2017 e a projeção é que cresça a uma média de 3,5% nos próximos anos, segundo a pesquisa da Euromonitor (2017);
  • O Octavio Café possui os principais selos de qualidade que avaliam a produção sustentável e foco na responsabilidade social do grão: Rainforest Alliance e Utz Certified;
  • O Café para ter qualidade, não basta ser apenas de origem da planta arábica, é necessário ter uma nota mínima de 80 pontos por especialistas, onde é avaliado o sabor, o aroma e o corpo da bebida.